A cozinha típica de um país é em grande parte determinada pelas sociedades, costumes e tradições dessa cultura, assim como pela disponibilidade de determinados alimentos.

O Brasil é um caso muito específico na cozinha mundial, não só pelas dimensões do seu território mas também pelas inúmeras influências de vários continentes, trazidas por imigrantes ao longo dos séculos.

Raízes e fruta são largamente usados na cozinha brasileira e em grande parte são sua imagem de marca.

É a grande variedade regional e quantidade de produtos diferentes que está cada vez mais atraindo o turista gastronômico, que viaja pelo Brasil em busca das mais tradicionais ou arrojadas experiências com a cozinha brasileira

Atento a esse fenômeno, o governo brasileiro está atualmente investindo em campanhas de divulgação e publicidade, tanto dirigidas ao cidadão brasileiro como ao potencial visitante estrangeiro.

O território brasileiro é tão extenso que o habitante de um estado poderá viajar a outro estado para experienciar aquilo que para ele será uma verdadeira aventura gastronômica.

E o setor turístico está atento para acolher os visitantes e promover seus produtos regionais.

Um exemplo claro é o do estado da Bahia, rico em cozinha afro-brasileira, que lhe empresta um toque muito próprio.

E o estado promove esse aspeto publicitando sua cozinha. Quem visita a Bahia não parte sem provar um acarajé. E quem sabe, talvez um dia o turista regresse precisamente porque sente saudade de comer essa iguaria.

Os restaurantes de alta gastronomia preenchem o nicho para os visitantes que procuram os sabores brasileiros em propostas mais trabalhadas, e tem cozinheiros brasileiros que são conhecidos no mundo inteiro por suas criações.

Claro que o visitante estrangeiro nunca terá uma experiência gastronômica completa do Brasil sem experimentar a comida mais tradicional, como a feijoada, vatapá ou moqueca de peixe, com pão de queijo ou couve mineira acompanhando, e terminando com quindim ou um bolo de milho carioca.